27 October 2007

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Finalmente passados 2/3 dias posso dizer que vou dormir!!!!!!!



Tendo em conta este desejo súbito de dormir nada mais nada menos do que uma breve dissertação a cerca do sono

Sono (do latim somnu, com o mesmo significado) é um estado ordinário de consciência, complementar ao da vigília (ou estado desperto), em que há repouso normal e periódico, caracterizado, tanto no ser humano como nos outros animais superiores, pela suspensão temporária da atividade perceptivo-sensorial e motora voluntária.

Ao dizer-se complementar, em conjugação com ordinário, quer-se significar tão somente que, na maioria dos indivíduos (com destaque, aqui, para os humanos), tais estados de consciência alternam-se, complementando-se ordinária, periódica e regularmente.

O Estado de sono é caracterizado por um padrão de ondas cerebrais típico, essencialmente diferente do padrão do estado de vigília, bem como do verificado nos demais estados de consciência. Dormir, nesta acepção, significa passar do estado de vigília para o estado de sono.

No ser humano, o ciclo do sono é formado por cinco estágios e dura cerca de noventa minutos (podendo chegar a 120 minutos). Ele se repete durante quatro ou cinco vezes durante o sono.

Ao dormir, os sentidos perdem-se na seguinte ordem: visão, paladar, olfato, audição e tato. O tato desperta ao mais leve toque sobre a pele. É o vigia do corpo adormecido.

Ao despertar, os sentidos voltam nesta ordem: tato, audição, visão, paladar e olfato.

Do que se tem registro na literatura especializada, o período mais longo que uma pessoa já conseguiu ficar sem dormir foi de onze dias. (Por curiosidade, Napoleão Bonaparte dormia quatro horas por noite; já Albert Einstein precisava de dez horas de sono).

Em geral, quanto mais velho um ser humano fica, de menos tempo diário de sono necessita.


Estou com... zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

2 comments:

Dazeiras said...

Nem vou comentar o motivo de tanta sonolência :p

Rosé said...

Pois...e tanta sonolência dá azo a um post chato como este?! Vilmita, puxa aí da tua veia poética e solta a goela! É disso que gosto em ti!